Prefeitura recebe representantes de tradicional universidade norte-americana

0
77
O encontro faz parte da agenda que a Prefeitura de Guarulhos, por meio da SDCETI, tem desenvolvido com objetivo de promover a integração entre o poder público, academia, setores produtivo, de conhecimento e as indústrias da cidade.

Na manhã de quarta-feira, dia 29, os secretários de Desenvolvimento Científico, Econômico, Tecnológico e de Inovação (SDCETI), Rodrigo Barros, de Gestão, Adam Kubo, e o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcelo Rezende, receberam na sede da SDCETI representantes da Universidade Carnegie Mellon – EUA e da Faculdade Torricelli.

O encontro faz parte da agenda que a Prefeitura de Guarulhos, por meio da SDCETI, tem desenvolvido com objetivo de promover a integração entre o poder público, academia, setores produtivo, de conhecimento e as indústrias da cidade.

“A presença da Carnegie Mellon é um grande ativo para Guarulhos. Traz qualificação de nível internacional ao município, uma vez que estamos falando de uma importante universidade dos Estados Unidos”, afirmou o secretário da SDCETI, Rodrigo Barros.

Na oportunidade, os representantes da Carnegie Mellon apresentaram o Native Accent – uma solução inovadora baseada em inteligência artificial e reconhecimento de fala que promete revolucionar o mercado de educação, o ensino de inglês e o aprendizado da pronúncia deste idioma. O aluno através de um pequeno teste recebe uma qualificação de qual nível se encontra em gramática, conversação, entonação e a partir do resultado é determinado qual programa melhor se enquadra para o seu aperfeiçoamento. Ou seja, uma solução customizada e especifica para cada um dos alunos.

Essa tecnologia será lançada em Guarulhos, em parceria com as Faculdades Torricelli, que deverá retomar suas atividades em 2019 e contará com a “graduação-sanduíche”, uma modalidade de Curso Superior em que o universitário realiza um período da faculdade fora do país de origem. “A aproximação com poder público neste momento é fundamental. A Carnegie quer desenvolver na América do Sul esta metodologia. São mais de 400 cientistas nos EUA desenvolvendo inteligência artificial para que o inglês seja falado no mundo e o primeiro lugar onde estarão será em Guarulhos”, conta Paulo Cesso presidente das Faculdades Torricelli.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here