Mais de 6 milhões de brasileiros sofrem de escoliose

0
6
Lembrada no próximo sábado, 29 de junho, a doença acomete a coluna vertebral e pode ter impacto significativo na qualidade de vida do paciente

O próximo 29 de junho é marcado como o Dia Mundial da Escoliose, doença que acomete a coluna vertebral formando um desvio no plano tridimensional (frontal, perfil e axial) de 10 graus ou mais. A conscientização é anualmente lembrada no último sábado do mês junho, segundo a Associação de Escoliose do Reino Unido (Scoliosis Association UK)¹. Existem outros tipos de desvios na coluna, sendo normais e/ou anormais. A escoliose é anormal e, dependendo da sua gravidade, pode ter impacto significativo na qualidade de vida dos afetados.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a escoliose atinge mais de seis milhões de brasileiros² e, em até 85% dos casos, a doença é idiopática, ou seja, não se pode encontrar a causa³. Acredita-se que grande parte dos casos é de decorrência hereditária e afeta mais o sexo feminino. É comum o aparecimento ou descobrimento durante o período da adolescência, quando acontece uma progressão de crescimento. Essa fase é propícia para a doença se instaurar ou se intensificar, levando à procura por especialistas.

A principal característica da escoliose é que ela pode ser identificada na estrutura vertebral com o indivíduo de costas, enquanto nos outros casos os desvios são identificados com o paciente de perfil4. A deformidade causa dois tipos de desvios: em formato de C, quando acomete apenas uma curvatura, e em formato de S, quando atinge mais de uma curvatura4.

A escoliose pode ser classificada como estrutural ou funcional. “A estrutural envolve já algum grau de rotação vertebral e rigidez da deformidade. Já a funcional pode ser por questões posturais (mais frequentemente) ou por problemas secundários, como tumor, infecção, dor, diferença de comprimento das pernas”, explica o ortopedista do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, Olavo Biraghi Letaif.

Os tratamentos mais comuns atuam na correção dos desvios e no controle da dor, com o objetivo de oferecer qualidade de vida, além de interromper a progressão da deformidade. Entre eles está o uso de colete, que tem alto grau de recomendação para escolioses de origem idiopática; e técnicas de fisioterapia, como a Reeducação Postural Globalizada (RPG)4.

De acordo com o ortopedista Olavo Biraghi Letaif, há também a opção cirúrgica, indicada geralmente quando o ângulo do desvio é maior que 50°, para pacientes com mais de 8 anos, e para alguns casos específicos onde se detecta rápida e grave progressão da curva.

“A cirurgia envolve a colocação de implantes (parafusos, ganchos, fios ou fitas) e hastes que permitam corrigir a deformidade da coluna e promover a fusão óssea, de uma vértebra com outra, na posição já corrigida. Dessa forma, a coluna com uso dos implantes acaba sendo submetida a uma série de manobras cirúrgicas corretivas que permitem o alinhamento das vértebras”, esclarece o ortopedista.

Sobre as empresas de produtos para saúde Johnson & Johnson*

Como a empresa de produtos para saúde mais completa do mundo, estamos completando um século de experiência, alavancando a ciência e a tecnologia para moldar o futuro da assistência médica e beneficiar ainda mais as pessoas ao redor do mundo.  Com amplitude, profundidade e alcance importante em cirurgia, ortopedia e soluções de intervenção, estamos trabalhando para mudar profundamente a maneira como os cuidados médicos são fornecidos. Nosso compromisso é com a vida.

* Compreendendo as soluções de negócios cirúrgicas, ortopédicas, visão e intervencionistas no segmento de produtos para saúde da Johnson & Johnson

 

Referências

¹Scoliosis Association (UK) https://www.sauk.org.uk/get-involved/international-scoliosis-awareness-day. Acesso em 21/06/2019

²Correio Popular de Campinas http://correio.rac.com.br/mobile/materia_historico.php?id=569536. Acesso em 19/06/2019.

³Gaúcha ZH https://gauchazh.clicrbs.com.br/saude/vida/noticia/2013/08/adolescentes-representam-80-dos-casos-de-escoliose-4236785.html. Acesso em 21/06/2019

4Drauzio Varella https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/escoliose/. Acesso em 25/06/2019

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here